Taxa de câmbio:

Tempo:

O Maracujá-Doce está prestes a entrar no mercado

O Maracujá-Doce está prestes a entrar no mercado

O Agro Nacional de TV Brasil apresentou o maracujá-doce, desenvolvido pela Embrapa. Ainda pouco conhecido pelos brasileiros, este fruto está prestes a entrar no mercado. O maracujá-doce foi desenvolvido por meio de uma pesquisa de melhoramento genético, e tem dado um bom retorno financeiro. É possível aproveitar as sementes, a polpa e a casca.

A cultivar de maracujá-doce BRS Mel do Cerrado (BRS MC) é uma uma nova opção para os fruticultores. Trata-se da primeira cultivar da espécie Passiflora alata Curtis destinada ao mercado de frutas especiais de alto valor agregado. É uma boa opção para fruticultores altamente tecnificados e para cultivo em estufa, onde pode-se obter frutos de alta qualidade física e química com alto valor no mercado. É também uma boa opção para pequenos produtores e para a agricultura praticada em sítios, chácaras e ambiente urbano. As principais características desta cultivar trabalhadas no melhoramento genético são alta produtividade, qualidade física e química de frutos e maior nível de resistência a doenças foliares. Sua flor exuberante, vermelho- arroxeada e com longas fímbrias multibandeadas evidenciam também o seu potencial ornamental para paisagismo de grandes áreas como muros e pérgulas, informa o repórter de tvbrics.com com referência a Embrapa.

Os frutos, quando maduros, tem coloração de casca amarela. A massa dos frutos varia de 120 a 300 gramas (média de 200 g), são obovais, com polpa amarelo alaranjada, com teor de sólidos solúveis muito alto (acima de 17 °Brix). Além da polpa/sementes, a casca também é comestível, podendo ser utilizada para fazer salada, compotas, entre outras receitas.

 


Mais sobre o tema
Brasil elevará exportação de soja em 2020
Ocupação de hotéis no Rio para o final do ano já chega a 75%
Micro e pequenas empresas geraram mais de 73 mil empregos em outubro
Produção global de café deve cair quase 1%, diz OIC
Cacau brasileiro é reconhecido internacionalmente
Bolsonaro terá 4 reuniões bilaterais com países do Brics, diz Itamaraty
Mais