Taxa de câmbio:

Tempo:

Terreno usado para acumular lixo vira fazenda urbana em Curitiba

Terreno usado para acumular lixo vira fazenda urbana em Curitiba

A agricultura urbana vem sendo vista por algumas organizações e comunidades como uma alternativa sustentável que além de dar uso a porções de terra desocupadas, promove o engajamento social e reduz a distância da semente ao prato, já que os alimentos são produzidos na própria cidade, muitas vezes no próprio bairro ou quadra onde vive o consumidor. No Brasil, Curitiba apresenta um exemplo interessante, em que um terreno vacante de 300 metros quadrados, onde por quatro décadas se amontoou lixo, foi convertido em uma horta urbana em pouco mais de dez meses, informa o repórter de tvbrics.com com referência a ArchDaily.

Segundo a Prefeitura da cidade, a batalha pela transformação do terreno foi liderada pela Associação de Moradores Amigos do Fazendinha, bairro curitibano. Por meio da Administração Regional do Portão, a prefeitura liberou o uso do terreno, localizado no cruzamento das ruas Afrânio Peixoto com Alcir Martins Bastos, e ofereceu assistência técnica para a implantação de uma horta, inaugurada em dezembro do ano passado. A horta é cultivada por cerca de dez membros da associação comunitária. A Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional disponibilizou terra fértil para garantir mais uma boa safra de alimentos, além de botas e ferramentas que também foram distribuídas ao grupo de agricultores urbanos. Para ajudar nos custos da conta de água para irrigação dos canteiros a associação vende parte da produção de hortaliças a preços acessíveis. A produção na horta comunitária é totalmente orgânica, sem uso de pesticidas de qualquer tipo. “Aqui não entra veneno nenhum, os que vieram com essa intenção tiveram que sair. Temos abelhas nativas, temos famílias que confiam na nossa produção limpa”, disse a presidente da Associação Comunitária Amigos da Fazendinha, Marlene Gonçalves Kadowaki.

A Prefeitura de Curitiba vem implementando diversas hortas comunitárias pela cidade, uma delas beneficia de 550 pessoas. Eles também desenvolveram este ano um projeto de uma Fazenda Urbana em meio à cidade.


Mais sobre o tema
Delícia que veio da Rússia, tem muitas variações no Brasil
Bióloga brasileira que salvou Arara Azul da extinção concorre a prêmio
São Paulo recebe exposição Heranças de um Brasil Profundo
Cinco coisas para saber sobre o Fórum Econômico Mundial de Davos
Obras no Sambódromo do Rio só ficam prontas na primeira semana de fevereiro
Cachaça brasileira ganha espaço e é produto de empreendedorismo na França
Mais
Terreno usado para acumular lixo vira fazenda urbana em Curitiba

A agricultura urbana vem sendo vista por algumas organizações e comunidades como uma alternativa sustentável que além de dar uso a porções de terra desocupadas, promove o engajamento social e reduz a distância da semente ao prato, já que os alimentos são produzidos na própria cidade, muitas vezes no próprio bairro ou quadra onde vive o consumidor. No Brasil, Curitiba apresenta um exemplo interessante, em que um terreno vacante de 300 metros quadrados, onde por quatro décadas se amontoou lixo, foi convertido em uma horta urbana em pouco mais de dez meses, informa o repórter de tvbrics.com com referência a ArchDaily.

Segundo a Prefeitura da cidade, a batalha pela transformação do terreno foi liderada pela Associação de Moradores Amigos do Fazendinha, bairro curitibano. Por meio da Administração Regional do Portão, a prefeitura liberou o uso do terreno, localizado no cruzamento das ruas Afrânio Peixoto com Alcir Martins Bastos, e ofereceu assistência técnica para a implantação de uma horta, inaugurada em dezembro do ano passado. A horta é cultivada por cerca de dez membros da associação comunitária. A Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional disponibilizou terra fértil para garantir mais uma boa safra de alimentos, além de botas e ferramentas que também foram distribuídas ao grupo de agricultores urbanos. Para ajudar nos custos da conta de água para irrigação dos canteiros a associação vende parte da produção de hortaliças a preços acessíveis. A produção na horta comunitária é totalmente orgânica, sem uso de pesticidas de qualquer tipo. “Aqui não entra veneno nenhum, os que vieram com essa intenção tiveram que sair. Temos abelhas nativas, temos famílias que confiam na nossa produção limpa”, disse a presidente da Associação Comunitária Amigos da Fazendinha, Marlene Gonçalves Kadowaki.

A Prefeitura de Curitiba vem implementando diversas hortas comunitárias pela cidade, uma delas beneficia de 550 pessoas. Eles também desenvolveram este ano um projeto de uma Fazenda Urbana em meio à cidade.


Mais sobre o tema
Delícia que veio da Rússia, tem muitas variações no Brasil
Bióloga brasileira que salvou Arara Azul da extinção concorre a prêmio
São Paulo recebe exposição Heranças de um Brasil Profundo
Cinco coisas para saber sobre o Fórum Econômico Mundial de Davos
Obras no Sambódromo do Rio só ficam prontas na primeira semana de fevereiro
Cachaça brasileira ganha espaço e é produto de empreendedorismo na França
Mais