Taxa de câmbio:

Tempo:

AO VIVO
assistir depois
Новости мира

Líderes do BRICS discutem perspectivas de cooperação na XII Cúpula dos Cinco

Quase um terço do território mundial e quase metade da população mundial. Os Estados dos BRICS estão juntos há muitos anos, mas pela primeira vez a Cúpula do Quinteto é realizada em um formato incomum. Os líderes dos países se reuniram on-line devido ao oronavírus, que se tornou um dos principais temas de uma conversa importante. 

O presidente russo, Vladimir Putin, está convencido de que o trabalho do Novo Banco de Desenvolvimento possui uma importância estratégica nessa nova realidade. O Banco reservou US$ 10 bilhões para combater a pandemia. A carteira de investimentos em novos projetos é duas vezes maior.

Vladimir Putin, Presidente da Federação Russa: “Nos países associados se encontram em fase de implementação 62 grandes projetos. A propósito, em breve será aberta uma agência regional do Banco BRICS em Moscou, para tratar de programas com linhas de crédito para todo o espaço eurasiano. Também gostaria de lembrar que os países do BRICS têm um instrumento especial de seguro, em caso de crise nos mercados financeiros, ou seja um montante de reservas cambiais condicionais no valor total de US$ 100 bilhões”.

Cooperação em todas as direções. Especialmente agora no campo da ciência, tecnologia e inovação, ecologia e economia. Ao mesmo tempo, o Quinteto está focado não apenas ao desenvolvimento interno do Grupo. Os membros dos BRICS defendem a interação internacional em grande escala com outros Estados, Organizações e Estruturas de integração, incluindo o formato “BRICS plus”.

Xi Jinping, Presidente da República Popular da China“Nós não fecharemos as nossas portas ao mundo, pelo contrário, acolheremos o mundo com a alma aberta. Estamos prontos para a integração com o mercado global e também aprofundaremos ainda mais a cooperação internacional. Dessa forma, podemos criar oportunidades e espaço para o crescimento econômico e a recuperação econômica. Estamos todos no mesmo barco, e quando o vento é forte e as ondas são enormes, devemos ter em mente nosso rumo, devemos ser decisivos para superar o mar agitado e nos unirmos para chegar até o futuro brilhante”.

O respeito à Carta, ao valores da ONU e aos princípios do Direito internacional são fundamentais. Mas a nova era requer novas abordagens. A crise do sistema multilateral levanta a questão da eficácia das instituições de governança global. De acordo com o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, chegou a hora de reformas.

Narendra Modi, Primeiro Ministro da Índia: A Índia acredita que o Conselho de Segurança da ONU deve ser reformado, isso é necessário. Nessa questão, nós contamos com o apoio de nossos parceiros do BRICS. Além das Nações Unidas, existem algumas outras instituições internacionais que não funcionam de acordo com a realidade moderna. Também necessitam de reformas tais instituições como a OMC, o FMI e a OMS”.

As questões de ordem e segurança mundiais também são atuais, como nunca. Os países do BRICS não apóiam ingerência em assuntos internos e sanções unilaterais. Juntos, os líderes do Grupo se apresentam contra a ameaça do terrorismo. Os países que apoiam o terrorismo precisam ser responsabilizados. Foi elaborada uma Estratégia Antiterrorismo dos Cinco países para a 12ª Cúpula dos BRICS. A cooperação está se expandindo no campo da segurança internacional, no combate à corrupção e às drogas.

Jair Bolsonaro Presidente do Brasil: “Podemos compartilhar informações sobre ameaças potenciais também à nossa segurança e à estabilidade de nossos países. O Brasil também valoriza a adoção da estratégia de contraterrorismo dos BRICS. Gostaríamos de chegar a um futuro sem essa ameaça. Sabemos que o terrorismo anda de mãos dadas com o comércio ilícito de drogas em diferentes regiões do mundo”.

Durante este momento difícil, eles estão prontos apoiar um ao outro. A Rússia, com avanços no desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus. A China, com seu conhecimento da medicina tradicional. O Brasil, com sua nova tecnologia de rastreamento para ajudar a prevenir a extração ilegal de madeira. A Índia, quer contribuir com cadeias globais de valor. A África do Sul convida a todos a participar da zona de livre comércio da África, que será inaugurada no próximo ano. O BRICS é hoje um exemplo para todo o planeta, de compreensão e apoio mútuo, independentemente da distância, mentalidade, sistema estatal e religião.

Cyril Ramaphosa, Presidente da África do Sul: “Para as economias emergentes que já enfrentam os desafios da pobreza, desigualdade e subdesenvolvimento, a pandemia do coronavírus é um golpe ainda maior. Nós, países dos BRICS, devemos nos unir e trabalhar juntos para mostrar nossa vontade coletiva e nos tornarmos líderes nessa direção. A pandemia nos ensinou que precisamos fortalecer nossos sistemas de saúde e nos preparar para futuras possíveis situações extremas dessa magnitude”.

No ano de sua presidência, a Rússia, apesar da pandemia e de suas consequências, conseguiu realizar 130 eventos diferentes. A Cúpula é a reunião principal. Aconteceu no aniversário do Presidente da República da África do Sul. Quem sabe no próximo ano, os colegas dos Cinco Países poderão parabenizar pessoalmente Cyril Ramaphosa e assim realizar um encontro presencial dos líderes desses países. O regresso à vida normal é esperado não só nos BRICS, mas em todo o mundo. Para que isso aconteça o mais rápido possível, cada país do BRICS está disposto a executar os esforços máximos.

Ksenia Komissarova, TV BRICS