Taxa de câmbio:

Tempo:

Adiamento dos Jogos dá nova chance a brasileiros pegos no doping

Adiamento dos Jogos dá nova chance a brasileiros pegos no doping


Os brasileiros pegos no doping podem receber uma nova chance com o adiamento dos Jogos de Tóquio. A Agência Internacional Antidoping (WADA, sigla em inglês) anunciou que as punições não serão pausadas ou prolongadas, decisão que beneficia ao menos dois atletas do Brasil que estão suspensos e são candidatos à medalha em Tóquio.

“Os períodos de inelegibilidade impostos pelo Código Mundial Antidopagem são por períodos específicos e incluem todas as competições que ocorrem durante esse período. Não há nenhuma disposição no Código para Organizações Antidopagem para escolher períodos de tempo nos quais o atleta teria mais ou menos eventos para competir”, escreveu a Wada em nota.

Rafaela Silva. A judoca carioca foi flagrada no exame antidoping durante os Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019, e foi suspensa por dois anos pelo uso da substância fenoterol, que funciona como broncodilatadora e ajuda no tratamento de problemas respiratórios. Ela perdeu a medalha de ouro conquistada no evento peruano. Suspensa até agosto de 2021, Rafaela torce para que sua defesa consiga diminuir a pena em pelo menos seis meses para que possa buscar a classificação aos Jogos de Tóquio e defender o ouro conquistado na Rio 2016.

Andressa Morais. A paraibana quebrou o recorde sul-americano do lançamento de disco nos Jogos Pan-Americanos de Lima e levou a prata. Ela perdeu a marca e precisou devolver a medalha meses depois, quando saiu o resultado do exame antidoping realizado na competição e testou positivo para uma substância anabolizante.

O ciclista Kacio Freitas foi o primeiro brasileiro flagrado no doping após os Jogos Pan-Americanos de Lima, onde foi bronze por equipes e quinto colocado na prova de sprint. Ele, Flávio Cipriano e João Vitor perderam a medalha.

Assim como Andressa, Kacio Freitas está suspenso preventivamente e aguarda a decisão final para saber quanto tempo ficará fora das competições.

Além do trio já abordado, Beatriz Haddad Maia e Gabriel Santos também podem ser beneficiados, informa o repórter de tvbrics.com com referência ao Olimpíada Todo Dia. O nadador foi liberado para competir recentemente, já a tenista está prestes a encerrar seu período de punição. Bia Haddad está suspensa até maio e não poderia estar no Jogos de Tóquio, porque perdeu várias posições no ranking da WTA durante os meses de ausência. Atualmente na 285ª posição do tênis feminino mundial, a brasileira precisou subir na classificação para ir a Tóquio. Vão para as Olimpíadas as 56 melhores ranqueadas, sendo que cada país pode ter apenas dois representantes. Bia Haddad ainda pode representar o Brasil na chave de duplas.

Gabriel Santos, por sua vez, foi absolvido pelo Tribunal Arbitral do Esporte em fevereiro, após um ano de punição. O nadador teria dois meses de preparação para a seletiva olímpica, mas, com o adiamento dos Jogos, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos cancelou provisoriamente a competição classificatória.

Photo: flickr.com

Mais sobre o tema
Neymar joga «contra» seus três cães e posta vídeo nas redes sociais
Clube catalão tem como prioridade contratar Neymar para a próxima temporada
Adiamento dos Jogos impacta calendário de modalidades para 2021
Como o Ioga pode melhorar a saúde do coração
Ronaldo, Messi, Neymar e mais: jogadores fazem doações em crise do coronavírus
Capitães dos clubes da Série D enviam carta pedindo ajuda à CBF
Mais