Taxa de câmbio:
RUB/BRL 0,0617
0,0000
INR/BRL 0,6476
0,0000
ZAR/BRL 3,0132
0,0000
CNY/BRL 0,7384
0,0000
EGP/BRL 1,1267
0,0000
AED/BRL 1,473
0,0000
USD/BRL 5,4097
0,0000
Tempo:
Moscou 30 °C
Brasília 18 °C
Nova Délhi 32 °C
Beijing 27 °C
Pretória 21 °C
Cairo 36 °C
Teerã 35 °C
Abu Dabi 38 °C
Menu
30 °C
Moscou
18 °C
Brasília
18 °C
Nova Délhi
27 °C
Beijing
21 °C
Pretória
36 °C
Cairo
35 °C
Teerã
38 °C
Abu Dabi
RUB/BRL
0,0617
0,0000
INR/BRL
0,6476
0,0000
ZAR/BRL
3,0132
0,0000
CNY/BRL
0,7384
0,0000
EGP/BRL
1,1267
0,0000
AED/BRL
1,473
0,0000
USD/BRL
5,4097
0,0000
TV BRICS Apps
Principal
Notícias
Vídeos
Menu
11.07.2415:15 Sociedade
Maior holding de media da Etiópia junta-se à rede de parceiros da TV BRICS
09.07.2418:30 Cultura
Filme "Dostoiévski Intercontinental", da TV BRICS, recebeu diploma do Festival Internacional de Cinema "Literatura e Cinema"
03.07.2410:00 Tecnologia
TV BRICS apresenta ao público internacional projeto de mídia que visa promover cooperação científica e tecnológica entre os países do BRICS
China
24.05.23 12:00
Cultura

Pesquisadores estudam relíquias de navios naufragados descobertos no Mar do Sul da China

Os achados fornecerão informações sobre mudanças nas rotas comerciais⁠

Dois naufrágios antigos, que provavelmente datam de meados da Dinastia Ming (1368-1644), foram descobertos a uma profundidade de 1.500 metros no Mar do Sul da China. A descoberta foi comunicada pela Autoridade de Patrimônio Cultural Nacional na cidade costeira de Sanya, província de Hainan.

Uma equipe de pesquisa do Instituto de Pesquisa e Engenharia de Águas Profundas da Academia Chinesa de Ciências descobriu o naufrágio na encosta continental em outubro. Foi a primeira vez que um local de naufrágio antigo tão extenso foi encontrado na China em profundidades tão grandes.

Затонувший корабль.jpg

Eles foram descritos pelos pesquisadores como "naufrágios nº 1 e nº 2 da encosta continental noroeste no Mar do Sul da China".

De acordo com Yan Yalin, diretor do departamento de arqueologia da Autoridade de Patrimônio Cultural Nacional, um estudo preliminar mostrou que as relíquias do naufrágio nº 1 estavam espalhadas por uma área de cerca de 10.000 metros quadrados.

Estima-se que mais de 100.000 relíquias culturais, principalmente porcelana, estejam ocultas no local, já que grande parte do navio segue coberta de areia e algumas de suas partes expostas estão sob uma camada de três metros de relíquias.

Algumas toras esculpidas, bem como uma pequena quantidade de cerâmica, foram encontradas a bordo do naufrágio nº 2, localizado a cerca de 20 quilômetros do naufrágio nº 1.

Com base em um exame de algumas das relíquias de porcelana encontradas no local, o naufrágio nº 1 provavelmente data do período do Imperador Zheng (1505-1521) e o naufrágio nº 2 do período do Imperador Hongzhi (1488-1505).

Фарфор.jpg

"As bem preservadas relíquias possuem alto valor histórico, científico e cultural. Pode ser uma descoberta arqueológica de importância mundial nas profundezas do mar", disse Yan.

"As descobertas são uma evidência-chave da antiga Rota da Seda marítima e um grande avanço para a pesquisa histórica sobre o comércio marítimo chinês, a navegação e a porcelana", acrescentou ele.

Entre as relíquias desenterradas perto do naufrágio nº 1 havia itens de Jingdezhen (província de Jiangxi) e da fornalha de Lunquan, na atual província de Zhejiang - centros importantes de produção e exportação de porcelana na China antiga.

Фарфоровые изделия.jpg

De acordo com um videoclipe divulgado pela equipe de pesquisa, foi encontrada no local do naufrágio grande variedade de itens, incluindo porcelana azul e branca, cerâmica celadón e cerâmica esmaltada verde.

De acordo com os arqueólogos, as toras de madeira encontrados no naufrágio nº 2 indicam a natureza do comércio de importação na época, já que a madeira era registrada como uma mercadoria importada em documentos chineses antigos.

Tan Wei, diretor do Centro Nacional de Arqueologia, disse que as novas descobertas forneceriam pistas para entender as mudanças históricas nas rotas comerciais no Mar do Sul da China.

"A descoberta de navios antigos que entravam e saiam na mesma área demonstra a importância dessa rota. Isso nos ajuda a estudar os fluxos recíprocos da Rota da Seda marítima", disse Tan.

No sábado, começou oficialmente a primeira rodada de pesquisas sobre os dois naufrágios antigos, que continuará até junho. As coordenadas exatas dos achados não foram divulgadas, a fim de proteger as relíquias.

Cerca de 30 especialistas do Centro Nacional de Arqueologia, do Instituto de Ciência e Tecnologia de Águas Profundas e do Museu do Mar do Sul da China (Hainan) estão conduzindo a pesquisa.

O navio de pesquisa chinês Tansuo-1, equipado com o submersível Shenhai Yongshi, ou Deep Sea Warrior, com cientistas a bordo, submergiu para realizar pesquisas no sábado. Cheng Chuanxu, cientista do Instituto de Ciência e Engenharia de Águas Profundas, disse que outra embarcação, a Tansuo-2, equipada com o submersível Fendouzhe, ou Striver, se juntaria à missão.

Подводный аппарат.jpg

Abordagens tecnológicas avançadas, incluindo robótica macia inspirada na biônica e na ciência dos materiais, foram utilizadas na operação para resgatar algumas relíquias dos locais dos naufrágios. Além disso, foram utilizadas novas técnicas de escaneamento, fotografia e monitoramento.

"Em se tratando de proteção e monitoramento em tempo real de um objeto subaquático tão grande a uma profundidade de 1.500 metros, não temos precedentes no mundo", disse Cheng, acrescentando que os pesquisadores estão atualmente tentando monitorar o objeto remotamente.

De acordo com Song Jianzhong, pesquisador do Centro Nacional de Arqueologia, espera-se que os submersíveis façam cerca de 50 mergulhos até abril de 2024. "Primeiro, precisamos descobrir a condição dos naufrágios, para depois podermos desenvolver planos para escavações e conservação arqueológicas", disse Song.

Ele acrescentou que as futuras expedições também incluirão pesquisas geofísicas e geológicas, bem como o estudo da vida marinha.

A arqueologia subaquática da China costumava se concentrar principalmente em águas rasas e áreas próximas a ilhas e recifes. Isso começou a mudar em 2018, quando o Centro Nacional de Arqueologia e o Instituto de Ciência e Engenharia de Águas Profundas criaram em conjunto o Laboratório de Arqueologia de Águas Profundas.

Em 2022, a equipe descobriu relíquias culturais, incluindo moedas datadas da dinastia Tang (618-907) até a dinastia Qing (1644-1911), a uma profundidade de cerca de 2.100 metros, perto das Ilhas Xisha, segundo informa China Daily, o parceiro da rede TV BRICS.

"A China promoverá a cooperação internacional na proteção de relíquias culturais subaquáticas e compartilhará sua experiência", disse o diretor do departamento de arqueologia da Autoridade de Patrimônio Cultural Nacional.

Fotografia: China Daily,  istockphoto.com


Curto
e direto ao ponto
Uma vez por semana, cobriremos as notícias dos países do BRICS
Ao clicar no botão "Assinar", você concorda com o processamento de dados pessoais

MAIS SOBRE O TEMA

11.07.2411:45 Cultura
Emirados Árabes Unidos organizam fórum de poesia árabe na África
09.07.2418:30 Cultura
Filme "Dostoiévski Intercontinental", da TV BRICS, recebeu diploma do Festival Internacional de Cinema "Literatura e Cinema"
08.07.2416:34 Cultura
Programa de proteção às tradições do Brasil: Cultura Viva celebra 20 anos
01.07.2419:00 Cultura
Índia realiza eventos anuais em homenagem ao escritor russo Leo Tolstoy
29.06.2418:30 Cultura
Egito abre mais de 200 eventos culturais para comemorar o dia 30 de junho
26.06.2418:00 Cultura
Gilberto Gil, ícone da MPB celebra 82 anos de vida
Curto
e direto ao ponto
Uma vez por semana, cobriremos as notícias dos países do BRICS
Ao clicar no botão "Assinar", você concorda com o processamento de dados pessoais